About Tati Itat - Fotógrafa de ensaios femininos fineart e casamentos - fineart portrait and wedding photographer

About Tati

EVERYONE IS BEAUTIFUL WITH A GOOD LIGHT (AND IT COMES FROM WITHIN)

"TODO MUNDO FICA BONITO COM UMA BOA LUZ (E ELA VEM DE DENTRO)"


Tati Itat, nascida e criada numa cidade pequenina, teve uma infância rica em brincadeiras inventadas com seus irmãos. Desde criança encontrava na arte formas de se expressar através do desenho, da pintura e da escrita. Por vários anos na adolescência participava de um grupo de teatro, período no qual sua ligação com a arte se fortaleceu. É formada em Licenciatura em Artes Visuais e começou a fotografar seu cotidiano quando teve seu primeiro celular com câmera em 2009. Depois de alguns anos fotografado o seu dia a dia dentro de casa enquanto trabalhava como empregada doméstica, Tati começou a fotografar pessoas, tentando descobrir e desenvolver o seu próprio estilo. Interessante que naquele mesmo ano iniciou uma Residência em Saúde Mental, através da qual trabalhava com pessoas em grave sofrimento psíquico. Esta experiência desafiou-a a experimentar e desenvolver formas de se conectar com aqueles sujeitos e possibilitar que os mesmos se comunicassem e se expressassem através de experiências estéticas e sensoriais. Ao longo de dois anos (2014 -2016), período em que atuava na saúde mental, desenvolveu uma forma de "fotografar" o ser humano, através da escuta atenta e do olhar sensível, colocando-se, para tanto, na mesma condição do outro num processo de empatia. Esta e outras vivências fazem total diferença no seu modo de ver, de sentir, de se relacionar com o outro e, da mesma forma, isso reflete em seu trabalho. Desde 2016 atua como fotógrafa profissional. Seu coração pulsa ao poder mergulhar nas estórias de vida das pessoas de forma densa, profunda, poética, singular. Para além disso, preocupa-se com arte engajada socialmente, especialmente com imigrantes e refugiados Haitianos vivendo no Brasil.


ABORDAGEM ARTISTICA


O desenvolvimento da minha pratica artística, do meu olhar, da construção da minha identidade visual tem se transformado a medida que tenho me entregue cada vez mais de corpo, alma e espirito ao exercício de me conectar com o outro. Com o, talvez, quase “intangível” daquele que eu fotografo. Um dos meus objetivos através do meu trabalho é instigar e provocar um “que” envolvente entre os sujeitos que eu fotografo para com aqueles que tiverem a oportunidade de deixarem-se envolver com a subjetividade, um tanto inenarrável, dos fotografados. A debruçarem-se sobre uma imagem que transcenda barreiras físicas, geográficas, e o próprio limite do frame.

Para atingir essa esfera provocante e sublime na minha fotografia, é extremamente importante (no meu fazer), conhecer o indivíduo a ser retratado, compreender sua historia de vida, seu jeito de ser, escutar seus sonhos e suas ideias. Insisto no desafio de trazer à luz uma estética condizente a efervescência do ser daquele que eu fotografo. Os sujeitos diante das minhas lentes são a principal fonte de matéria prima para a construção da estética a ser usada. A partir da escuta sensível e do olhar atento aos seus anseios e a suas expressões corporais, de forma cocriadora, espontânea, orgânica e viva os retratos são construídos.

Um dos princípios que permeiam este fazer resume-se nesta frase: o que temos em mãos hoje aqui onde estamos? Essa pergunta impulsiona e desafia a minha criatividade. Ela também me possibilita olhar tudo o que esta ao meu redor com outros olhos, afirmando: temos tudo o que precisamos exatamente onde estamos. Esta tudo diante de nós, está em nós, está dentro do outro, está em nossa liberdade de cocriação e expressão. Uso os verbos na terceira pessoa do plural, pois, o meu fazer acontece na interação e cooperação mútua entre os sujeitos de rica e vasta subjetividade diante da minha lente – que se pudesse, gostaria de sempre capturar aquilo que é invisível: o sublime de suas almas.

O apreço pela pintura, tanto barroca, neoclássica quanto impressionista faz saltar meus olhos em busca da luz, das cores, do contraste, dos realces, das texturas presentes na pele, nos tecidos, nos objetos, na natureza. E confesso que há uma constante pesquisa (calcada na experimentação e observação dos resultados) que anseia por desenvolver uma fotografia que remeta cada vez mais ao pictórico. Recentemente tenho experimentado bordar sobre fotografias impressas em tecido, numa tentativa de trazer um gesto fino, delicado, cuidadoso, detalhista, convidando olhares a se deleitarem e se demorarem sobre os fios, a encontrarem outros olhares, a se enxergarem no olhar do outro.





"EVERYONE IS BEAUTIFUL WITH A GOOD LIGHT (AND IT COMES FROM WITHIN)"


Tati Itat, born and raised in a small town, had a rich childhood in games invented with her brothers. Since childhood she found in art ways to express herself through drawing, painting and writing.

For several years as a teenager she was part of a theater group, a period in which her connection with art was strengthened.

Graduated with a degree in Visual Art and began photographing her daily life when she had her first camera phone in 2009. After some years taking photos at home while working as a housekeeper, she got a professional camera of her parents and started to photograph people, trying to discover and develop her own style.
Interestingly, that same year she started a Residency in Mental Health, through which she worked with people in severe psychic suffering.

This experience challenged her to experiment and develop ways of connecting with those subjects and enabling them to communicate and express themselves through aesthetic and sensory experiences.

During two years (2014 -2016), during which she worked in mental health, she developed a way of "photographing" the human being through attentive listening and sensitive eyes, placing herself in the same condition as another in a process of empathy.
This and other experiences make a total difference in her way of seeing, of feeling, of relating to the other and, in the same way, this reflects in her work. Her heart pulses as she delves into the people's life stories, profound, poetic, singular way.
In addition, it is concerned with socially engaged art, especially with the Haitians immigrants and refugees living in Brazil.


ARTISTIC APPROACH

The development of my artistic practice, my way of seeing the world, the construction of my visual identity has changed as I have fully given myself, in body, spirit and soul, to the exercise of connecting to the other. With the “maybe”, the almost “intangible” of what I photograph. One of my goals through my work is to instigate and provoke something fascinating among the subjects I photograph and the ones who have the opportunity the get involved with the subjectivity of the portrayed.

To reach this provoking and sublime sphere in my photography, it is extremely important (in my work) to know the individual to be portrayed, understand his or her story, way of being, dreams and ideas. I insist in the challenge of bringing to light an aesthetics consistent to the one I photograph. The subjects in front of my lens are the main source of the raw material to the construction of the aesthetics to be used. From the sensitive listening and the watchful eye to their aspirations and body expression, in a co-creative, spontaneous, organic and vivid way, the portraits are made.

One of the principles that makes this work may be summarized in this sentence: ”what do we have in our hands today, here, where we are?” This question boosts and challenges my creativity. It also makes me see everything that is around me with different eyes, affirming: we have all we need, exactly where we are. Everything is in front of us, everything is inside us, in our freedom to co-create and express ourselves. My work happens in the interaction and in the mutual cooperation among the subjects and their rich and vast subjectivity in front of my lens. If I could, I would like to always capture what is invisible: the sublime of their souls.

The appreciation for painting, be it baroque, neo classical or impressionist makes my eyes shine in search of light, colors, contrast and texture present in the skin, the fabric, the objects and nature. And I confess that there is a constant search (through experimentation and observation of the results) that claims to develop a photography that resembles to the pictorial. Recently, I have experimented to embroider on pictures printed on fabric, in an attempt to bring a fine, delicate, detailed gesture, inviting the eyes to get delighted and take time admiring the threads, to meet other eyes, to see themselves in the eyes another.




Prizes and Recognitions:


2019 Photo of the Week, May 17, National Geographic YourShot: https://yourshot.nationalgeographic.com/photos/13771889/


2018 Exposição coletiva Imagenation, PARIS, Galerie de Turenne, durante PHOTO PARIS: http://www.imagenationparis.com/


2018 Foto premiada em 1º lugar pela CPC Portrait Awards: https://portraitawards.childphotocompetition.com/portrait_awards_may/


2018 Entrevista para a CPC Portrait Awards: https://childphotocompetition.com/interview-with-tati-itat/


2018 Vencedora do concurso internacional Traveler Photographer of the Year 2018 promovido pela National Geographic: https://yourshot.nationalgeographic.com/photos/12265679


2018 Fotos publicadas na VOGUE Italia: http://www.vogue.it/photovogue/portfolio/?id=155881


2018 Finalista do concurso internacional Shoot the Frame: https://shoottheframe.com/portfolio/tati-itat/


2018 Indicada à melhor fotografia do concurso Daily Dozen promovido pela National Geographic https://yourshot.nationalgeographic.com/photos/12290644/


2018 Photo of the Week, September 7, National Geographic YourShot: https://yourshot.nationalgeographic.com/photos/12697278/


2018 Daily Dozen National Geographic https://yourshot.nationalgeographic.com/photos/12290644/


2018 Photo of the Week, June 1, National Geographic YourShot: https://yourshot.nationalgeographic.com/photos/12267083/


2018 Fotos na galeria YourShot da National Geographic: https://yourshot.nationalgeographic.com/profile/1713332/#photos

2017 Foto premiada pela FineArt Association: https://www.fineartassociation.com.br/fotografo/tatiitat


2017 Fotos premiadas em 1º e 2º lugar na Bride Association: http://www.brideassociation.com/home/property/tati-itat/


2017 Indicada ao prêmio de reconhecimento internacional Oscar da Fotografia de Casamento promovido pela Inspiration Photographers: https://inspirationphotographers.com/wedding/lista-dos-indicados-ao-oscar-da-fotografia-e-videos-de-casamentos-e-familia-mundial-a-lente-de-ouro-2017/


2017 Casamento premiado internacionalmente pela Inspiration Photographers na categoria "The Best Wedding Inspiration", que é a mais nova galeria do Inspiration Awards para fotógrafos que elege o conjunto da obra: https://inspirationphotographers.com/tati-itat-the-best-wedding-3/


2017 Entrevista concedida ao Wedding Brasil: http://blogweddingbrasil.com.br/o-olhar-sensivel-e-a-fotografia-humana-de-tati-tat/


2017 Entrevista concedida à maior revista de fotografia do Brasil: http://www.fhox.com.br/entrevistas/ao-vivo-tati-itat-palestrante-do-fhox-talks-na-alasul-2017/


2017 Entrevista concedida ao Iphoto Channel: http://iphotochannel.com.br/fotografia-fine-art/conhecendo-a-fotografia-fine-art-brasileira-a-fotografa-tati-itat